A madeira sustentável

A madeira sustentável

A algum tempo me deparo com essa questão. A madeira é uma matéria-prima sustentável ou não?
Existem argumentos que dizem que não. Sua exploração ilegal, condições dos trabalhadores do ramo e problemas ambientais relacionados ao desmatamento.
O que vejo são notícias alarmantes sobre o nível de desmatamento da Amazônia e problemas com a Mata Atlântica. Não que tivemos uma colonização exploratória. Opa! Espera aí, isso é outro assunto.

O que fazemos a respeito desses problemas? Paramos de comprar produtos derivados da madeira?
Livros impressos, nem pensar! Flyers e postais, anti-ecológico! Aquele armário do seu quarto, o próximo não será de madeira. A madeira vai continuar existindo em nossas vidas, assim como o tão mal falado plástico.

Vai mesmo? Como você tem tanta certeza?
Tenho certeza porque o consumo consciente depende apenas de nós mesmos. Como assim? Vou te explicar. Se alguém te disser. Compra esse carro. É barato, mas polui muito mais o ar que você e sua família respira. Você compraria?
Posso estar errado, mas você escolheria outro. Aquele lance do “green washing“. Você vai continuar se enganando até quando?
E o que isso tem a ver com a madeira?

O raciocínio é o mesmo. Ao comprar madeira ou algum produto que contenha madeira, certifique-se que a madeira usada não é ameaçada de extinção ou ilegal. Dê preferência a produtos com algum tipo de certificação séria. Essa é sua única garantia de que você também não tenha culpa nessa história. Felizmente e infelizmente. Felizmente porque existem ofertas de produtos e infelizmente porque a demanda ainda é maior que a oferta. O que precisamos é pressionar para que mais pessoas tenham essa consciência e, assim, mais pessoas ofereçam a opção sustentável. Inclusive aqueles que querem continuar fazendo da madeira sua profissão. Entendeu? Pensar no longo prazo.

Uma coisa é certa. A madeira ainda é um material mais ecológico em toda sua cadeia produtiva do que outros como o cimento, aço e plástico.
Pense nisso na sua próxima escolha.

Caso queira se aprofundar no assunto veja os links abaixo.

IBAMA – Lista de espécies da flora ameaçadas, nela algumas madeiras conhecidas como pau-brasil, jacarandá, mogno e o tão desejado pelos designers o roxinho.
Seja Legal, boas práticas para manter a madeira ilegal fora dos seus negócios – da WWF
Madeira, uso sustentável na construção civil – do IPT com Secretarias municipais e estaduais de São Paulo

Projetar é preciso

Projetar é preciso

A necessidade de um bom projeto surge quando deparamos com uma necessidade ou problema. Assim, para elaborarmos a ação que deve ser tomada, partimos para um planejamento. O projeto, então, seria um meio de analisar as melhores soluções e idéias para que se tornem realidade.

O bom projeto é fonte de boas soluções e de aprendizado, seja a pessoa um profissional ou não. Qualquer pessoa é capaz de utilizar de suas habilidades manuais para gerar algo que deseja.

Tendo isso em mente começaremos com informações básicas sobre uma matéria-prima, a madeira. Seu projeto deve levar em conta como utilizá-la com senso ecológico, aproveitando-a da melhor forma na hora do corte.

As placas de madeira são hoje as mais utilizadas na construção de móveis. Elas possuem diferenças em relação ao valor, peso e tamanhos comercializados.

Os tipo mais comuns de placas são: MDF, MDP ou Aglomedado, OSB e Compensado.

O MDF (Medium Density Fiberboard) é composto por fibras de média densidade e é comercializado nas medidas 1850×2750 mm e espessura de 3, 6, 9, 15, 18 podendo encontrar também na espessura 20, 25, 30 e 35 mm.

Aglomerado ou MDP é composto por partículas de madeira aglutinadas com uma resina e depois prensada. O MDP difere pela densidade da partícula empregada na camada externa. Utilizada onde não é preciso entalhes, rebaixos ou cantos trabalhados. É uma placa de baixo custo e não resistente a umidade. É comercializada nas medidas 2750 x 1830 mm e espessuras de 12, 15, 18, 25, 28 mm

OSB é uma placa formada por tiras de madeira em camadas unidas por uma resina. É prensada em alta temperatura. Tem resistência mecânica e rigidez. Utilizada geralmente na construção civil, porém, hoje com placas de melhor qualidade, é utilizada na construção de móveis. É comercializada nas medidas 1220×2440 mm e espessuras 8, 10 e 15 mm.

O compensado é composto por lâminas de madeira coladas entre si (laminado) ou por sarrafos de madeira coladas entre si (sarrafeado). Possui uma variedade de madeiras que revestem externamente. Pode ter tratamento naval, com cola resistente a água, para uso em ambientes úmidos. É comercializada nas medidas 1600×2200 mm e espessura 4, 6, 10, 15, 18, 20, 25 e 30 mm

Lembre-se que para cada corte são perdidos aproximadamente 4 mm de material.

Medidas mais comuns de placas